Com restrições para a abertura dos negócios, empresas do comércio e de serviços enfrentam problemas para pagar dívidas e funcionários.

Para evitar quebradeira num cenário em que limitações à operação deverão continuar, especialistas e representantes desses segmentos pedem medidas mais efetivas que facilitem o crédito e ofereçam alívio temporário para o pagamento de impostos.

O governo abriu a caixa de ferramentas de medidas tributárias, permitindo adiar o pagamento do FGTS e do Simples Nacional, mas a postergação mais ampla de tributos ainda não foi acionada.


Fonte: Valor Econômico - Impresso, por Marli Olmos e Fabio Graner — De São Paulo e Brasília, 11/05/2021