As vendas internas de cimento tiveram queda de 8,6%, em janeiro, na comparação anual, para 4,6 milhões de toneladas, segundo o Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC). Em relação a dezembro, houve queda de 3,7%. Por dia útil, a comercialização do produto caiu 10,8%, para 197,4 mil toneladas, em relação a janeiro de 2021, e apresentou retração de 3,9% frente a dezembro.

O aumento do número de casos de covid-19 e influenza, a piora da economia — elevação de juros e inflação, crescimento do endividamento das famílias e crédito imobiliário menos acessível — e as chuvas, principalmente em Minas Gerais e em São Paulo, explicam o desempenho inferior das vendas em janeiro.

Esses fatores se refletiram em menor comercialização de cimento para a autoconstrução. A demanda segue puxada por edificações e por retomada modesta do segmento de infraestrutura.

Segundo o presidente da entidade, Paulo Camillo Penna, o setor tem o desafio de manter o desempenho do período de 2019 a 2021, que contribuiu para recuperação de parte das perdas registradas de 2015 a 2018. Em nota, o SNIC citou que os custos do setor continuam pressionados pelas altas de insumos, como energia elétrica e térmica, sacaria e refratários.

— Foto: Pixabay


Fonte: Valor Econômico - Empresas, por Chiara Quintão - São Paulo, 07/02/2022