Uma troca de diretoria na Sabesp reacendeu as especulações no mercado sobre a possível privatização da companhia de saneamento paulista. O diretor metropolitano da empresa, Paulo Massato, está deixando o cargo, segundo apurou o Valor.

O executivo fez carreira na Sabesp e já era aposentado, apesar de ser considerado um dos homens-forte da companhia. Ele tinha o controle, por exemplo, dos investimentos da Sabesp.

Notícias sobre sua saída circularam ontem entre analistas e investidores, que consideraram a substituição um bom sinal para a possível privatização da empresa. Segundo fontes, Massato era um dos executivos que mais se opunha à venda da Sabesp. Inclusive, um de seus braços direitos dentro da empresa, Roberval Tavares, foi presidente da Abes (Associação de Engenharia Sanitária e Ambiental) e trabalhou de forma efusiva contra a aprovação do novo marco legal do setor, que abriu caminho para a alienação do controle de estatais.

O tema de privatização da Sabesp já estava de volta ao mercado porque, na terça-feira, houve uma reunião no Palácio dos Bandeirantes com o governador João Doria (PSDB), o vice-governador e secretário de governo, Rodrigo Garcia; o secretário da Fazenda e Planejamento, Henrique Meirelles; o secretário de Projetos, Orçamento e Gestão, Mauro Ricardo; e o presidente da Sabesp, Benedito Braga.

A divulgação da reunião na agenda oficial das autoridades levantou a expectativa de novidades sobre o processo. Segundo fontes, porém, não há uma decisão definitiva sobre o tema.

Por indicação do governo, a diretoria de Massato deverá ser ocupada por Ricardo Borsari, atual diretor de sistemas regionais da Sabesp e ex-secretário paulista de Saneamento e Recursos Hídricos, em 2018. Ele é apontado como autor de reestruturações importantes dentro da empresa e de acordos para a renovação de contratos com cidades no litoral.

 

Fonte: Valor Econômico -Empresas, por Taís Hirata e Ana Paula Ragazzi - São Paulo, 18/09/2020