Dois bancos públicos concentram pouco mais da metade do crédito do país, que soma cerca de R$ 3 trilhões. Caixa Econômica Federal e no Banco do Brasil detêm 50,8% do mercado. E tal concentração reflete o peso dessas duas instituições na oferta de crédito imobiliário e rural, modalidades caracterizadas pelos juros subsidiados, e pela participação no consignado. 

Já os cinco maiores bancos, somando aqui os privados Itaú, Bradesco e Santander, detêm 86% do crédito. A constatação está no Relatório de Economia Bancária (REB) de 2017 divulgado pelo Banco Central (BC), que destaca que o ponto relevante para o custo dos financiamentos não seria essa concentração, mas sim o grau de competição entre os bancos, que aumentou ao longo dos últimos anos apesar da redução de participantes entre 2000 e 2017.

No REB, o BC abriu a concentração e a participação das instituições em diferentes modalidades de crédito. No segmento de pessoas físicas, a Caixa é líder com 31,88% de participação em 2017 (32,58% em 2016), seguida por Banco do Brasil com 18,92% (19,13% em 2016), Itaú com 11,77% (11,91% em 2016), Bradesco com 10,38% (10,78% em 2016) e Santander com 8,65% (7,68% em 2016).

Segundo o BC, essa leve redução da fatia de mercado dos quatro maiores bancos no crédito à pessoa física em 2017 refletiu o aumento da participação de bancos comerciais menores e de cooperativas de crédito, que saíram de 3,45% em 2016 para 3,72%.

Fenômeno semelhante foi observado no crédito a pessoas jurídicas. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) respondeu por 21,3% do crédito para as empresas, contra 21,89% em 2016. O Banco do Brasil teve participação de 18,7% (18,92% em 2016). A Caixa ficou com 12,04%, contra 12,25% em 2016, seguida por Bradesco com 11,5% (11,72% em 2016) e Itaú com 9,17% (9,1% em 2016). As cooperativas são destaque com alta de 1,92% em 2016 para 2,42% no ano passado.

Na modalidade de crédito imobiliário (pessoas físicas e jurídicas), observouse aumento da concentração. A participação da Caixa alcançou 69,96% em 2017, fazendo com que a participação dos cinco maiores bancos chegasse a 96,65% nesse segmento. Em 2016, a Caixa tinha 68,17%.

O segundo colado em crédito imobiliário é o Banco do Brasil, com uma fatia de 7,75% (7,86% em 2016), seguido por Bradesco com 7,06% (7,26% em 2016), Itaú com 6,8% (7,1% em 2016) e Santander com 5,08% (5,73% em 2016). No crédito rural (pessoas físicas e jurídicas), quem lidera é o Banco do
Brasil com participação crescente, atingindo 55,45% em 2017 ante 47,55% em 2016.

Fonte: Valor - Finanças, por Eduardo Campos e Fabio Graner , 13/06/2018