A utilização da capacidade operacional da indústria da construção civil foi de 50% no mês passado, o valor mais baixo da série histórica, iniciada em 2012, da Sondagem da Indústria da Construção, da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

“Essa queda reflete os efeitos da crise provocada pelo coronavírus na atividade e não há dúvidas de que a alta ociosidade da indústria deve permanecer enquanto durar o isolamento social”, diz o gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, em comentário enviado à imprensa.

A pesquisa mostra que os índices de evolução do nível de atividade e do número de empregados permanecem bem abaixo da linha de 50 pontos. O indicador de evolução do nível de atividade registrou 29,4 pontos, e o de evolução do número de empregados recuou para 24,1 pontos. Os índices variam entre 0 e 100 e todo valor abaixo de 50 é negativo.

O Índice de Confiança do Empresário Industrial da Construção registrou 37,6 pontos em maio, bem abaixo do início das expectativas otimistas. A avaliação das condições correntes tornou-se mais negativa, embora o pessimismo sobre os próximos seis meses tenha diminuído.


Fonte: Valor Econômico - Brasil - São Paulo, 22/05/2020