Após o estouro da máfia dos fiscais, entidades como Secovi (Sindicato da Habitação de SP) e SindusCon (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado) se apressaram em sugerir mudanças de procedimentos à Prefeitura de São Paulo no recolhimento do ISS, que levou para a cadeia até agora funcionários corruptos, mas nenhum dos corruptores.

NA ONDA 2

A APeMEC (Associação de Pequenas e Médias Empresas de Construção Civil do Estado de São Paulo) também encaminhou proposta ao prefeito Fernando Haddad, sugerindo que a cobrança passe a ser informatizada. "A maneira como se recolhe o imposto na capital abre brechas para a roubalheira", afirma Luiz Alberto Costa, presidente da entidade, que representa 270 empresas do setor.

NA ONDA 3

O presidente da APeMEC diz que a ideia de informatização foi bem-aceita. "Haddad respondeu de imediato e enviou para estudo", afirma. Só que a sugestão não é inédita. A própria Secretaria de Finanças já anunciou para este ano novo sistema de tecnologia para automatizar o processo de obtenção do Certificado de Quitação do ISS.


Fonte: Folha de São Paulo, por Mônica Bergano, 14/04/2014