O crédito imobiliário tem grande espaço para crescer no Brasil, sustentou o diretor de Fiscalização do Banco Central (BC), Paulo Souza. Ele observou que esse crédito está em cerca de 8,5% do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto em outros países chega à marca de 60% do PIB. Ele disse que os riscos relacionados ao crédito imobiliário, em geral, reduziram-se recentemente, após o aumento durante o período de recessão.

Segundo o diretor, não houve impacto tão significativo da recessão de 2015 e 2016 na carteira de crédito imobiliário, por conta da postura mais prudencial de, desde 2012, ampliar exigência de capital para operações de crédito de mais de 80% do valor do imóvel. Por isso, hoje a grande maioria das operações é de financiamento de menos de 80%.


Fonte: Valor, de Fabio Graner e Isabel Versiani,