Os investimentos na economia brasileira iniciaram 2021 em queda, segundo leitura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que anunciou nesta quinta-feira o Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF). No índice, o instituto apurou queda de 15,9% em janeiro deste ano ante dezembro do ano passado.

O Ipea detalhou, no entanto, que o resultado de janeiro foi influenciado por alta base de comparação. Isso porque, no último mês do ano passado, houve alto volume importado de plataformas de petróleo e outros bens de capital de apoio à prospecção e extração de petróleo e gás natural — que são considerados investimentos.

O Ipea informou ainda que, no entanto, mesmo com recuo na margem em janeiro, o indicador Ipea de investimentos mostrou alta de 23,5% no trimestre móvel encerrado em janeiro, ante o trimestre imediatamente anterior. Na comparação com janeiro de 2020, a alta no índice foi de 6,1% em janeiro deste ano.

Entretanto, na trajetória em 12 meses, normalmente usada para medir ritmo de investimentos, o saldo do indicador ainda é negativo. O Ipea informou que, no acumulado em 12 meses do índice, a taxa de variação intensificou queda, passando de -0,8% em dezembro do no passado para -1,3% em janeiro deste ano.

O Ipea informou ainda que o consumo aparente de máquinas e equipamentos – produção nacional destinada ao mercado interno acrescida das importações – caiu 37,1% em janeiro ante dezembro. Entretanto, no trimestre móvel deste tópico, houve alta de 53% no trimestre encerrado em janeiro, ante trimestre imediatamente anterior.

O instituto detalhou que, em janeiro ante dezembro, a produção nacional de máquinas e equipamentos ficou praticamente estável, com um pequeno recuo de 0,3% em janeiro. Porém, a importação caiu 40,5% no mesmo período. De acordo com análise dos pesquisadores do Ipea, embora tenham ocorrido novas importações de plataformas de petróleo em janeiro, o volume importado dos outros bens de apoio à prospecção e extração de petróleo e gás natural sofreu forte queda.

Já no acumulado em doze meses até janeiro, a demanda interna por máquinas e equipamentos apresentou retração de 3,2%, informou o instituto.

No caso de construção civil, os investimentos no setor caíram 0,2% em janeiro ante dezembro do ano passado, na leitura do indicador do Ipea. Os pesquisadores do instituto pontuaram que a queda interrompe sequência de oito altas, na margem: ou seja, na comparação com mês imediatamente anterior. Porém, mesmo com o recuo, os investimentos na construção civil subiram 2,4% no trimestre móvel finalizado em janeiro, ante trimestre imediatamente anterior - mas ainda apresentam queda de 1,3% em 12 meses até janeiro.

 
 — Foto: Ivan Henao/Unsplash

— Foto: Ivan Henao/Unsplash

 

Fonte: Valor Econômico - Brasil, por Alessandra Saraiva, Valor — Rio, 01/04/2021